UA-116285209-1
 
  • Dr. Bruno Benigno

Dia Mundial de Combate ao Câncer de Rim 18/06



Dentre tantas patologias já conhecidas, quando o tema é câncer, pouco se fala sobre o renal e tudo que envolve o diagnóstico e tratamento. Esse tipo de câncer pode ser considerado relativamente incomum, atingindo cerca de 150 mil pessoas no mundo, em sua maioria homens na faixa etária de 50 aos 70 anos.


No Brasil, a incidência estimada é de 7 a 10 casos para cada 100 mil habitantes.

Apesar da baixa incidência, dados do Globocan, um projeto da Organização Mundial da Saúde (OMS), indicam que a cada dois pacientes diagnosticados com tumores renais, um acaba morrendo. Em grande parte, a razão principal dos altos índices de morte se deve à descoberta tardia da doença.



Câncer renal e seus tipos

Há 5 diferentes tipos de câncer renal, sendo eles:


Carcinoma Renal de Células Claras: conhecido com RCC (Renal Cell Carcinoma) é o mais comum, ocorrendo em 70% a 90% dos casos. Ele tem origem no tubo responsável por filtrar as purezas do sangue.


Carcinoma Papilar: Menos comum, este câncer atinge cerca de 10% a 15% dos casos. É um tipo agressivo que pode causar metástase. Costuma causar obstrução das vias urinárias, gerando dor. Existe o carcinoma papilar tipo 1 e o tipo 2.


Carcinoma Renal Cromófobo: Ocorre em cerca 5% dos casos e é considerado um dos menos agressivos.


Ductos Coletores: Tipo de câncer extremamente raro que afeta uma estrutura do rim chamado Tubo de Bellini.

Sarcomatóides: Em geral ocorre em concomitância aos outros tipos, principalmente ao carcinoma de células claras, sendo um componente do mesmo e com características mais agressivas.


Causas e tratamento

O câncer renal tem causas variadas como tabagismo, obesidade, hipertensão arterial, insuficiência renal terminal e histórico familiar, bem como algumas síndromes clínicas raras, presença de doença renal cística adquirida, uso prolongado de analgésicos não esteroides, e exposição ocupacional a alguns agentes como cádmio e derivados de petróleo, entre outros.


Nesse cenário, é essencial que as pessoas saibam sobre a importância de reconhecer o câncer de rim precocemente, já que o diagnóstico traz melhor qualidade de vida, maiores chances de cura e também a possibilidade de preservar, quando possível, a parte do rim não acometida pela doença. 






8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo