UA-116285209-1 Cirurgia urológica robótica: como funciona?
  • Agência Hoppa

Cirurgia urológica robótica: como funciona?

A prostatectomia é a remoção cirúrgica de toda ou parte da próstata e vesícula seminal. Junto com a radioterapia, é uma das etapas mais importantes no tratamento do câncer de próstata. É realizada também quando há aumento na próstata (hiperplasia benigna de próstata) a ponto de interferir no fluxo da urina.

Atualmente, essa cirurgia pode ser realizada por meio da técnica de cirurgia robótica. Nela, o urologista utiliza um sistema de braços de alta precisão e imagens em alta resolução. Essa tecnologia proporciona uma visão tridimensional, ampliada e de alta precisão do campo operatório, com magnificação de imagem de até 6x.

Normalmente, o paciente fica internado por volta de 2 a 3 dias. Antes do procedimento, o paciente fica internado por cerca de 8 horas e recebe anestesia geral. A cirurgia robótica dura entre 2 a 3 horas e meia, mas o paciente deve ficar em observação na sala cirúrgica pelo mesmo período.

A cirurgia consiste em quatro a seis pequenas incisões no abdômen. Através delas, acontece a remoção total da próstata. Numa cirurgia robótica, as chances de preservar os nervos e vasos sanguíneos, essenciais para as funções do organismo, são grandes. Também, no pós-operatório, é menos provável que pacientes que passaram pela cirurgia robótica têm menos probabilidade de desenvolver infecções ou complicações na cicatrização.

Comparada com a cirurgia normal, a robótica tem como benefícios menos sangramento, mais precisão e visibilidade do cirurgião, um pós-operatório mais seguro e menores complicações. Porém, é importante ressaltar que os riscos nesta técnica cirúrgica não são zerados: o risco de incontinência varia entre 2 a 3%. Já os riscos de impotência chegam a 20%.

A prostatectomia precisa ser robótica?

É importante ressaltar que, mesmo com as vantagens da cirurgia robótica, ela não está presente em todas as regiões do Brasil. Atualmente, apenas capitais e grandes centros médicos possuem o robô Da Vinci, utilizado nessa modalidade cirúrgica. Mas este fator não deve anular a importância de realizar o procedimento, já que a cirurgia é fundamental para aumentar as chances de cura de um tratamento para câncer de próstata.

Nos Estados Unidos, 80% das prostatectomias são realizadas por meio da cirurgia robótica. No Brasil, a realidade é bastante diferente, mas tende a mudar conforme a tecnologia torne-se mais acessível.

Para mais informações sobre diagnósticos, tratamento e prevenção do câncer de próstata, acesse: https://institutosaudedaprostata.com.br/



90 visualizações

©  2019 por Clínica Uro Onco. Responsável técnico: Dr. Bruno Benigno CRM SP: 126265

  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • YouTube ícone social
  • Twitter ícone social
  • Facebook ícone social
  • Google+ ícone social