UA-116285209-1
  • Dr. Bruno Benigno

Qual risco de fazer biópsia de próstata?

Atualizado: Abr 28




A biópsia de próstata é a única forma de chegar ao diagnóstico definitivo do câncer de próstata. É considerado um procedimento invasivo e de pequeno porte, feito em hospitais ou clínicas especializadas.


É perigoso fazer biópsia?

O procedimento é realizado com sedação e anestesia local.

O médico urologista ou o radiologista intervencionista são os profissionais habilitados para realizar este tipo de procedimento.


A biópsia é um procedimento seguro e muito realizado no mundo todo a cada dia. A taxa de complicações graves após a biópsia é baixa, aproximadamente 0,2%. (1)

Os principais riscos da biopsia são:


  • Sangramentos na urina e no esperma após a biópsia (51%)

  • Dor ou ardência ao urinar (16%)

  • Retenção urinária (4,2%)

  • Febre (3,2%)

  • inflamação na próstata, quadro conhecido como prostatite aguda e sepse (0,2%)


Qual o preparo e repouso após biópsia de próstata?


Na tentativa de diminuir a probabilidade dos possíveis efeitos colaterais, você será orientado a utilizar antibióticos antes e após o procedimento. Além disso, um preparo intestinal será recomendado na véspera da biópsia e você deverá manter repouso relativo por 24h após a biópsia.


Também é recomendado em ingerir grande quantidade de água e líquidos claros após o procedimento.


O exame consiste na introdução de um equipamento de ultrassom em formato de caneta pelo reto. Através do aparelho, uma agulha especial remove de 14 a 21 fragmentos em áreas diferentes de sua próstata. Cada fragmento mede aproximadamente 1,4 cm de comprimento e 2 a 3 mm de espessura.


Qual o grau do câncer de próstata?

Cada fragmento removido será avaliado em separado por um médico patologista com um auxílio de microscópio.


A análise final do tecido leva de 7 a 10 dias e pode revelar ou não a existência do câncer de próstata, assim como pode estabelecer as características de agressividade da doença.


O que é a biópsia de próstata transperineal?

Uma outra técnica de biópsia, conhecida como biópsia transperineal, tem mostrado menores índices de infecção urinária e prostatite e pode se tornar o padrão em um futuro próximo. (2)


Esta técnica possui a mesma eficiência de uma biópsia feita através do reto e com menores taxas de complicações. Necessita equipamento apropriado para realização e ainda não é amplamente disponível em nosso país (texto escrito em 04/2020).


Alguns estudos sugerem que esta técnica tem maior sensibilidade para detectar tumores mais agressivos e localizados na região anterior da próstata.

No sudeste do Brasil, alguns centros vem ganhando grande experiência com esse método nos últimos anos.(veja aqui)


Seu urologista tem ferramentas necessárias para orientá-lo de forma adequada sobre a necessidade ou não de ser submetido a uma biópsia de próstata.

Espero que estas informações possam ajudá-lo da melhor forma.


por:

Dr. Bruno Benigno

se RM: 126 265





1. Symons JL, Huo A, Yuen CL, Haynes A-M, Matthews J, Sutherland RL, et al. Outcomes of transperineal template-guided prostate biopsy in 409 patients: Transperineal biopsy. BJU Int. setembro de 2013;112(5):585–93.

2. Tu X, Liu Z, Chang T, Qiu S, Xu H, Bao Y, et al. Transperineal Magnetic Resonance Imaging–Targeted Biopsy May Perform Better Than Transrectal Route in the Detection of Clinically Significant Prostate Cancer: Systematic Review and Meta-analysis. Clin Genitourin Cancer. outubro de 2019;17(5):e860–70.


©  2019 por Clínica Uro Onco. Responsável técnico: Dr. Bruno Benigno CRM SP: 126265

  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • YouTube ícone social
  • Twitter ícone social
  • Facebook ícone social
  • Google+ ícone social