top of page

Etapas para o sucesso na cirurgia de Reversão de Vasectomia

Atualizado: 12 de jan. de 2023

A indicação adequada da reversão de vasectomia é talvez o fator mais importante para o sucesso do procedimento.

O casal deve ser sempre orientado a respeito das chances de sucesso do procedimento, a fim de evitar expectativas acima ou abaixo da realidade.



Qualquer homem vasectomizado que deseje ter filhos é candidato à reversão de vasectomia, não havendo contra indicações absolutas ao procedimento.


Sendo assim, a taxa de sucesso do procedimento esperada para cada casal é o principal fator ser considerado ao decidir-se pela realização de reversão de vasectomia ou pela realização de fertilização in vitro (FIV), com recuperação de espermatozoides por punção de epidídimo.


Nem sempre a estimativa da taxa de sucesso da reversão de vasectomia é fácil, tendo em vista que muitos fatores influenciam nos resultados.

Os principais fatores que devem ser levados em consideração são os

seguintes:


1. Fator feminino de infertilidade:

é o primeiro fator a ser considerado, uma vez que a presença de fatores ovulatórios graves ou, principalmente, fatores obstrutivos que indiquem FIV e, portanto, impedem a concepção natural, contra indicam a reversão de vasectomia.


2. Tempo de vasectomia:

é importante ter em mente que não há um ponto de corte definido para o tempo de vasectomia que contraindique a reversão desta. O que se sabe é que quanto menor o tempo de vasectomia, melhores as taxas de sucesso e que as taxas apresentam uma queda gradativa, não havendo pontos de queda abrupta.


As taxas na literatura variam entre aproximadamente 95% de patência para os casos com menos de 5 anos e aproximadamente 50% para os casos com mais de 20 anos.

É importante considerar também que, em apenas aproximadamente metade dos casos com patência após a cirurgia atinge-se o objetivo final, que é a concepção natural.


3. Idade feminina:

não é um fator primário, mas deve ser considerada ao estimar-se a possibilidade de concepção natural


4. Idade masculina:

não há evidência de que a idade masculina tenha interferência nos resultados de reversão de vasectomia.


5. Antecedentes cirúrgicos:

tentativa de reversão de vasectomia prévia e punção de epidídimo anteriores são fatores que pioram as taxas de sucesso; no entanto, não contraindicam a reversão de vasectomia.


A reversão de vasectomia apresenta melhores resultados quando realizada por meio da técnica microcirúrgica e, sempre que factível, a vaso-vasoanastomose é a técnica de escolha. Outras técnicas, como a vaso-epididimoanastomose, podem ser usadas em situações especiais como nas obstruções epididimárias.


Os cuidados pós-operatórios são de extrema importância para o sucesso da cirurgia. Entre eles, devem ser ressaltados o repouso pós-operatório por uma semana, bem como o uso de suspensório escrotal, abstinência sexual por duas semanas e o repouso de atividades físicas vigorosas por quatro semanas.

As complicações são infrequentes e geralmente relacionadas à incisão cirúrgica.

A falha do procedimento pode ser considerada a principal complicação.


Escrito por: Dr. Bruno Benigno | Uronolgista | CRM SP 126265 | RQE: 60022




58 visualizações0 comentário

コメント

5つ星のうち0と評価されています。
まだ評価がありません

評価を追加
bottom of page