UA-116285209-1
 
  • Dr. Bruno Benigno

Vasectomia - O guia completo. O que você precisa saber sobre pré e pós-operatório


A vasectomia é o método de esterilização masculina, com a maior taxa de sucesso em termos de prevenção de gravidez (atingindo até 99% de eficácia). É um procedimento cirúrgico de pequeno porte, feito com anestesia local (sedação) e é considerado um meio de prevenção de gravidez definitivo, pois não precisa de outra intervenção cirúrgica no futuro. Contudo, também pode ser revertido.



Quem pode fazer a vasectomia?


  • Homens acima de 25 anos, ou com 2 filhos vivos, e que assine juntamente com sua esposa um consentimento autorizando o procedimento da laqueadura masculina. O casal ainda passará por uma avaliação psicológica e terá que observar um prazo de 60 dias a partir da data que manifestou interesse até o dia da cirurgia.


  • Em casos onde a parceira está numa situação de saúde em que uma gravidez pode trazer um risco de vida tanto para ela quanto para a criança que nasceria.


O que acontece quando o homem faz a vasectomia?


  • Entendendo a anatomia do sistema genital masculino, é possível reparar que ele é composto pelo pênis, a glande, os dois testículos, e epidídimo (estrutura responsável por armazenar e amadurecer os espermatozóides produzidos no testículo), os ductos deferentes, as vesículas seminais e a próstata, que faz a conexão entre o sistema urinário e o reprodutor.

Sendo assim, o sêmen ejaculado durante a relação sexual é, na verdade, uma mistura de líquidos produzidos pelos componentes do sistema, onde, desse volume total, apenas 3% é produzido no testículo.

Logo, quando esse fluxo que vem do testículo é interrompido, apenas uma pequena parte da ejaculação total é afetada. Sendo assim, não é necessário esperar uma diminuição importante do volume da ejaculação, isso é um mito.

  • Não é necessária a internação, a vasectomia é um procedimento cirúrgico ambulatorial. É preciso de um jejum de 8 horas antes da cirurgia e durante a mesma, os pelos da região serão diminuídos.


  • Mesmo após a interrupção do fluxo do deferente, as próximas 20 ejaculações ainda virão com espermatozóides vivos, ou seja, ainda há risco de gravidez.

Após 20 ejaculações ou 120 dias corridos da cirurgia, você fará um exame de espermograma, onde será investigada a existência de espermatozóides vivos.

Só quando o resultado é negativo que o paciente está liberado para interromper métodos contraceptivos.


O que acontece com os esperomatozóides após a vasectomia?






O PÓS-OPERATÓRIO


A cirurgia costuma apresentar um pós-operatório tranquilo, um repouso relativo é recomendado por 48 horas, ou seja, evitando ao máximo atividades sexuais, andar de bicicleta, moto, fazer atividades físicas como corridas e artes marciais.

São indicados alguns remédios (como o Bi-Profenid, que é um anti inflamatório, e a dipirona para a dor), e é recomendado que nas primeiras 48 horas seja utilizada uma bolsa de gelo na região genital para aumentar a sensação de conforto, sem precisar deixá-la em contato com a pele (apoiando a mesma em uma superfície de pano). A bolsa pode ser aplicada por aproximadamente 30 a 40 minutos e você pode repetir esse processo de duas a três vezes ao dia.


Os pontos da cirurgia são absorvíveis pelo corpo, não precisam ser removidos, o seu corpo mesmo fará esse trabalho.


É importante fazer o uso do suspensório escrotal (serve para diminuir a tensão entre o peso do testículo no cordão espermático) após a cirurgia por aproximadamente 7 à 10 dias. Se possível, é recomendado também que o paciente adquira um segundo suspensório, para poder lavar e trocar em dias alternados.


Os cuidados com o curativo são bem simples, apenas água e sabão. Não é necessário deixar a região coberta. Caso pequenas gotas de sangue apareçam entre a incisão, coloque uma gaze, de forma que não abafe a pele.


Nós da Clínica Uro Onco seguimos inteiramente à disposição. Para saber mais sobre esse assunto, acesse:



Escrito por:





51 visualizações0 comentário