top of page

Câncer de Bexiga: Você sabe as diferenças entre os tipos?

Olá, pessoal! Aqui é o Dr. Bruno Benigno, urologista de São Paulo, diretor da Clínica Uro Onco e coordenador de uma das equipes de urologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Hoje, vamos falar sobre os diferentes tipos de câncer de bexiga de uma forma simples e direta.



O câncer de bexiga é classificado com base na aparência das células cancerígenas observadas no microscópio. Para fazer o diagnóstico, um patologista, que é um médico especializado em diagnosticar doenças usando o microscópio, analisa as células tumorais.


Existem basicamente duas principais apresentações do câncer de bexiga: o não invasivo e o invasivo. O câncer não invasivo da bexiga permanece nas camadas internas da bexiga, enquanto o câncer invasivo infiltrou para a camada muscular profunda do órgão.

Cerca de 9 em cada 10 cânceres de bexiga são do tipo carcinoma urotelial, também chamado de carcinoma de células de transição. A doença inicia nas células da superfície da camada que reveste internamente a bexiga. A maioria dessas células são do tipo não invasivo, ou seja, o tumor fica apenas nas camadas superficiais da bexiga. (1–3)


Dentro do carcinoma urotelial, existem subtipos mais raros, chamados variantes, e cada um requer um tratamento específico. Essas variantes são identificadas com base na aparência das células no microscópio e incluem tipos como plasmocitoide, micro papilífero, sarcomatoide, entre outros.

No entanto, além do carcinoma urotelial, existem tipos mais raros de câncer de bexiga, como o carcinoma de células escamosas, que se origina das células finas e planas presentes na bexiga após inflamações crônicas e infecções. Esse tipo é mais comum em áreas como o Oriente Médio, onde uma infecção parasitária chamada esquistossomose é frequente, mas também pode ser encontrada na América do Norte e na Europa.


Outro tipo raro é o adenocarcinoma, que representa cerca de 1 em cada 100 casos da doença. Ele pode ser causado por problemas congênitos na bexiga ou por infecções e inflamações crônicas.

Por fim, temos o carcinoma de pequenas células da bexiga, que tipo é mais agressivo de todos e tende a se espalhar rapidamente. Geralmente, é detectado em estágios avançados, após ter se disseminado para outras partes do corpo. O tratamento para esse tipo de câncer geralmente envolve uma combinação de quimioterapia, cirurgia e radioterapia.


Eu destaco para finalizar que o nosso time de especialistas em câncer de bexiga da Clínica Uro Onco em São Paulo, têm ampla experiência no diagnóstico e tratamento de todos esses tipos de câncer de bexiga, tanto os não invasivos quanto os invasivos e as variantes mais raras.


Então, se você ou alguém que conhece está enfrentando questões relacionadas ao câncer de bexiga, não hesite em buscar ajuda médica especializada. A prevenção, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado podem fazer toda a diferença na luta contra o câncer.


Espero que essas informações tenham sido úteis para vocês. Fiquem atentos à saúde e até a próxima!

38 visualizações0 comentário

Commentaires

Noté 0 étoile sur 5.
Pas encore de note

Ajouter une note
bottom of page