top of page

Hiperplasia: O aumento Benigno da Próstata. Dos sintomas ao tratamento

Hiperplasia Benigna da Próstata: Diagnóstico, Sintomas e Opções de Tratamento

Por Dr. Bruno Benigno



Aumento da próstata, um assunto recorrente, ganhou destaque recentemente após o apresentador de televisão Raul Gil passar por um tratamento de raspagem da próstata aumentada. Neste artigo, abordaremos algumas perguntas comuns sobre hiperplasia benigna da próstata (HBP), incluindo métodos de diagnóstico, sintomas, opções de tratamento, vantagens, desvantagens e os riscos associados a um tratamento tardio.


Como médico urologista e uro-oncologista, minha intenção é fornecer informações relevantes para que você possa estar melhor informado antes de sua consulta médica.

A HBP é um fenômeno natural que afeta todos os homens. Estima-se que cerca de 20% dos homens entre 40 e 50 anos já apresentam próstatas aumentadas, e esse número aumenta para 70% entre os homens com mais de 70 anos. Para entender os sintomas e tratamentos da HBP, é essencial compreender a próstata.


A próstata é uma glândula que se encontra logo abaixo da bexiga e envolve a uretra, o canal por onde a urina passa para ser eliminada pelo pênis. A próstata normal de um homem tem aproximadamente o tamanho de um carimbo e pesa cerca de 35 gramas.



No entanto, ela pode crescer significativamente, atingindo pesos de até 250 a 300 gramas. Em média, um homem de 50 anos tem uma próstata com peso aproximado de 50 a 60 gramas. À medida que a próstata cresce, surgem nódulos de hiperplasia benigna, o que resulta em uma próstata nodular.

Esse crescimento, tanto interno quanto externo, pode causar o estreitamento do canal da uretra.


Esse estreitamento do canal pode levar a dificuldades na micção, exigindo mais esforço para esvaziar a bexiga. No entanto, muitos homens com HBP podem não apresentar sintomas perceptíveis.

É por isso que é importante fazer avaliações periódicas com um urologista. É fundamental compreender que a HBP não está relacionada ao câncer de próstata.


O fato de a próstata aumentar não significa que o risco de desenvolvimento de câncer de próstata seja maior. O risco de câncer de próstata aumenta com a idade.

Os sintomas mais comuns da HBP podem ser divididos em dois tipos: sintomas obstrutivos e sintomas irritativos.


Os sintomas obstrutivos incluem jato urinário fraco, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, micção frequente, necessidade de urinar durante a noite e hesitação ao iniciar a micção. Os sintomas irritativos envolvem urgência miccional, incontinência urinária e até mesmo ardência ao urinar. Em casos mais graves, a HBP pode levar a complicações, como infecções urinárias recorrentes, sangramento, dilatação da bexiga e do rim.

É importante ressaltar que a hiperplasia benigna da próstata não aumenta o risco de desenvolvimento de câncer de próstata.


São condições distintas, embora possam coexistir em alguns casos.

No tratamento da hiperplasia benigna da próstata, é fundamental considerar a abordagem individualizada, levando em conta a idade do paciente, a presença de comorbidades, a gravidade dos sintomas, o tamanho da próstata, a disponibilidade de tecnologias e a experiência do cirurgião em diferentes métodos.


Portanto, o tratamento pode variar de pessoa para pessoa.

Existem três principais abordagens para o tratamento da hiperplasia benigna da próstata: mudanças no estilo de vida, medicamentos e procedimentos cirúrgicos. A adoção de um estilo de vida saudável, que inclui atividade física regular, controle do peso, abandono do tabagismo e controle de condições como diabetes, pode ajudar a minimizar o crescimento da próstata.


Quanto aos medicamentos, existem duas classes principais utilizadas. Os alfa-bloqueadores relaxam a musculatura da próstata, melhorando o fluxo urinário, enquanto os inibidores da enzima conversora de testosterona reduzem a ação hormonal na próstata. Esses medicamentos podem ser utilizados isoladamente ou em combinação, e muitos homens apresentam uma resposta favorável a eles.


Nos casos em que a resposta aos medicamentos não é satisfatória ou quando a hiperplasia benigna da próstata atinge um estágio avançado, a intervenção cirúrgica pode ser necessária. A ressecção transuretral da próstata (RTU) é um procedimento comumente realizado, no qual o excesso de tecido prostático é removido através da uretra, sem a necessidade de abertura abdominal. Esse procedimento ajuda a alargar o canal uretral, facilitando o esvaziamento da bexiga.


Além da RTU, novas opções menos invasivas estão disponíveis, como a utilização de grampos (Urolift) para alargar o canal uretral ou a vaporização do tecido prostático com laser verde. Também é esperado que uma nova tecnologia, o REZUM, seja introduzida no Brasil em breve. Essa abordagem utiliza injeções de vapor de água aquecido para destruir as células prostáticas em excesso, com menor risco de complicações, incluindo a preservação da ejaculação.



Outra opção é a embolização da próstata, na qual as artérias que nutrem o órgão são bloqueadas, reduzindo o seu volume. No entanto, essa técnica não substitui completamente a raspagem tradicional e pode ser mais indicada para homens com contraindicações para a cirurgia.



Para próstatas volumosas, acima de 80 gramas, a cirurgia robótica pode ser uma alternativa eficaz. Esse avanço tecnológico permite uma remoção precisa do tecido prostático, minimizando o trauma uretral.


É importante ressaltar que qualquer decisão relacionada ao tratamento da hiperplasia benigna da próstata deve ser tomada em consulta com um médico especialista, que avaliará o quadro clínico do paciente e recomendará a melhor opção de tratamento.


Além das opções de tratamento mencionadas anteriormente, é fundamental que os homens com hiperplasia benigna da próstata realizem exames regulares de acompanhamento para monitorar a progressão da doença. Os exames incluem a dosagem do PSA (antígeno prostático específico) no sangue, o toque retal e, em alguns casos, a realização de ultrassonografia da próstata.


Vale ressaltar que, embora a hiperplasia benigna da próstata seja uma condição comum em homens mais velhos, é importante estar ciente dos sinais de alerta que podem indicar a presença de câncer de próstata. Esses sinais incluem dificuldade persistente em urinar, presença de sangue na urina ou no sêmen, dor ao ejacular, dor pélvica crônica e perda de peso sem explicação. Caso algum desses sintomas esteja presente, é essencial procurar atendimento médico imediatamente.


Em resumo, a hiperplasia benigna da próstata é uma condição comum em homens mais velhos e pode causar sintomas urinários incômodos. O tratamento varia de acordo com a gravidade dos sintomas, o tamanho da próstata, a idade e as preferências do paciente.


Opções de tratamento incluem mudanças no estilo de vida, medicamentos e procedimentos cirúrgicos, sendo a escolha adequada determinada em consulta com um médico especializado. É importante também realizar exames regulares para acompanhar a progressão da doença e estar atento a possíveis sinais de câncer de próstata.



🔸Não deixe para amanhã cuidados que precisam ser diários! ☎(11) 2769-3929 📱(11) 99590-1506

Faça contato direto pelo whatsapp: 📲 https://bit.ly/2HCRkgt

Agende online: http://bit.ly/2WMMiCI

Rua Borges Lagoa 1070, Cj 52 Vila Mariana - São Paulo - SP

Dr. Bruno Benigno - CRM: 126.265

117 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page