UA-116285209-1
  • Dr. Bruno Benigno

Postectomia para Fimose - Antes e Depois

POSTECTOMIA - ANTES DE DEPOIS




A fimose nada mais é do que a formação de um anel fibroso e com pouca elasticidade na pele do prepúcio, levado a dificuldades para a higiene local, relação sexual e mesmo infecções urinárias de repetição .


A fimose do adulto tem causas diferentes das encontrada em crianças. Em homens após a puberdade o contato contínuo com a urina, a umidade, pequenos traumas durante a relação sexual e infecções por fungos ou bactérias podem acelerar o processo de inflamação da pele do prepúcio.

Este processo de inflamação leva à uma perda progressiva das glândulas responsáveis pela lubrificação do prepúcio, as glândulas de Tyson, e atrofia da pele.

Com o passar do tempo a pele perde cada vez mais sua elasticidade e forma um anel estreito (a fimose do adulto) e sujeito à fissuras e inflamação crônica no local.


O tratamento consiste na utilização de sabonetes neutros e cremes hidratantes na tentativa de restabelecer a lubrificação da pele o mais próximo do normal possível.

Em aproximadamente 40% dos casos, não é possível reverter o processo e a cirurgia para remover a pele doente, a postectomia, pode ser indicada.


Após a cirurgia, a abstenção das atividades sexuais é recomendada por aproximadamente duas a três semanas.


A utilização de antibióticos e anti-inflamatórios, assim como o curativo com pomadas lubrificantes são recomendados em praticamente todos os casos.


Atualmente, utilizamos fios de sutura que são completamente absorvidos pelo organismo em até 3 semanas, dessa forma não há necessidade da retirada de pontos posteriormente.


A sensibilidade na região da glande é uma preocupação muito comum a todos os homens que consideram passar por este tipo de procedimento.

A ideia de que a sensibilidade da glande ficará aumentada é um mito. Na verdade, acessibilidade tende a retornar à normalidade em aproximadamente 40 a 60 dias.


Outros benefícios muito relevantes da postectomia é a diminuição do risco de contaminação pelo vírus HPV . Estudos na literatura demonstram que homens postectomizados tem um risco aproximadamente 3,5 menor de serem infectados pelo vírus.


Outro aspecto relevante a menor incidência de câncer de pênis em homens postectomizados.


Caso você tenha alguns desses sintomas relatados acima, é muito importante que passe por uma avaliação física por um urologista. O tratamento individualizado é a melhor estratégia a ser seguida.





838 visualizações

©  2019 por Clínica Uro Onco. Responsável técnico: Dr. Bruno Benigno CRM SP: 126265

  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • YouTube ícone social
  • Twitter ícone social
  • Facebook ícone social
  • Google+ ícone social