UA-116285209-1
 
  • Dr. Bruno Benigno

6 coisas que você não sabia sobre a fimose:

O tema “fimose” é muito frequente no consultório do urologista, tendo um grande fluxo de dúvidas e questões a serem respondidas e levantadas. Baseando-se nas questões levantadas por nossos pacientes em nosso canal do YouTube, separamos algumas coisas que você precisa saber sobre fimose:


1. Em relação à sensibilidade:


O Dr. Bruno Benigno, urologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Diretor da Clínica Uro Onco, explica que é normal após uma cirurgia para remoção da pele a região ficar sensível, pois, a glande fica com o revestimento muito fino, podendo sentir uma sensibilidade excessiva. Todavia, há prognósticos de que essa sensibilidade melhore depois de dois ou três meses após a cirurgia, voltando à normalidade.


2. Como saber se é fimose?


A fimose é a formação de um anel que impede que a glande saia naturalmente, podendo existir vários graus da condição. O “mais preocupante” é quando a glande não consegue ir para fora, e o “mais leve” é quando você consegue colocar a glande para fora, mas é possível perceber que há ainda a formação de um “anel” em volta da região, causando um estreitamento. Esse “anel” é a fimose. Se o paciente tem mais de 17 anos e ainda apresenta essa condição, muito provavelmente precisará de um tratamento com cirurgia.



3. Fimose é normal ou causada pela higiene?


O Dr. Bruno explica que a fimose é normal em todos os meninos, é uma condição comum e todos nascem com. Mas, aos 12 anos, aproximadamente 99% de todos os meninos já conseguem expor a glande. Apenas 1% na fase adulta ou na adolescência não consegue colocar a glande para fora. Nesses casos pode haver dificuldade também para fazer a higiene.

Então, sim a fimose é normal mas o obstáculo para fazer a higiene devido à situação pode agravar o caso, sendo necessário passar por uma avaliação com um urologista e, em alguns cenários, remover o excesso de prepúcio e o “anel” que está dificultando com cirurgia.

4. Sobre pós operatório e curativo:


Logo após a operação, o curativo ainda sai com um pouco de sangue nos primeiros dias, então é recomendado que o curativo seja trocado sempre que o mesmo estiver sujo. Depois de 7 a 10 dias da cirurgia, os pontos tendem a ficar mais secos, então não há necessidade de deixar a região o tempo inteiro coberta. O especialista afirma que pode deixar a região “aberta” para “respirar” e passar a pomada que o urologista provavelmente recomendou, deixando coberto apenas se for notado algum sangramento pontual na ferida operatória.

Resumindo: nos primeiros dias após a cirurgia, o curativo deve ser trocado conforme a necessidade e após o sétimo ou décimo dia, pode ser trocado apenas no banho.

Para saber mais sobre os cuidados pós operatórios, acesse: Cirurgia de fimose (postectomia). Como se preparar para o antes e depois?


5. Sobre dores e vermelhidões na região da glande:


O Dr. Bruno explica que em casos onde o pênis está ereto e há dificuldade para visualizar a glande, dores e manchas vermelhas na região, muitas vezes pode ser um quadro de balanopostite crônica, o qual é uma inflamação/vermelhidão na pele da glande e do prepúcio por um ressecamento, causado pelo contato com o suor e a urina. Nesses casos, é de grande importância que sejam avaliados por um urologista pois existem sabonetes e cremes hidratantes especiais que podem ser indicados para essa condição, melhorando a elasticidade da pele, além de ser analisado se há alguma infecção por fungos ou bactérias. Quando essas medidas não são eficientes, são casos de remoção de pele do prepúcio.


6. Sobre excesso de pele e dificuldades para colocar preservativo no ato sexual:


Quando alguns homens não se adaptam a colocação do preservativo por conta do excesso de pele, a cirurgia de fimose para remoção da pele na região pode ser indicada. É raro, pois quando o pênis está ereto, a pele do prepúcio recua e o preservativo consegue ser colocado de maneira natural. Mas, caso o problema persista, onde a pele do prepúcio segue cobrindo a glande, provavelmente haverá problemas para manter o preservativo, entrando em uma denominação conhecida como “prepúcio redundante”, da qual é necessária cirurgia para resolver.



Para saber mais sobre o assunto e conferir ao vídeo completo do urologista Dr. Bruno explicando essa e outras questões sobre fimose, acesse o vídeo abaixo e nos conte o que achou:



Escrito por: Sofia Carnavalli

Assessoria de Imprensa do Dr. Bruno Benigno - CRM SP: 126265


1,073 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo