UA-116285209-1
 
  • Dr. Bruno Benigno

Cálculos renais - o guia do paciente.


O que são?


Os rins são órgãos vitais de sustentação à vida, realizando muitas funções para manter o sangue limpo e quimicamente equilibrado. Atuam como filtros muito eficientes para livrar o corpo de resíduos e substâncias tóxicas, devolvendo vitaminas, aminoácidos, glicose, hormônios e outras substâncias vitais à corrente sanguínea. São responsáveis pelo equilíbrio do volume da água no organismo. (1) (2)


Quando cristais se formam dentro do sistema coletor de urina, há o risco de sua agregação em uma massa sólida, popularmente conhecida como pedra no rim.

Os principais fatores de risco são: baixa ingestão de água e líquidos claros, obesidade, medicamentos (como as medicações para o tratamento para o HIV), histórico familiar, entre outros.


As pedras nos rins, ou cálculos renais, são uma causa frequente de procura ao atendimento de urgência e emergência no mundo inteiro. Correspondem por aproximadamente 60% de todos os atendimentos de urgência relacionados à urologia.


Sintomas:


A grande maioria dos cálculos renais não causam qualquer sintoma.

Isto porque o rim somente é capaz de detectar variações do aumento da pressão, relacionada à interrupção do fluxo de urina por algum fator obstrutivo - como um cálculo, por exemplo.


Quando o cálculo renal obstrui o fluxo urinário, ele pode causar o inchaço do rim (hidronefrose), o que costuma causar muita dor. (2)


A cólica renal representa um quadro de dor súbita, de forte intensidade, com vontade constante de ir ao banheiro, sangue na urina, ardência ao urinar, febre e podendo estar acompanhada de náuseas e vômitos. (3) Sua principal causa é a interrupção do fluxo urinário entre o rim e a bexiga, pela passagem de um cálculo.



Do que são formados os cálculos renais?


A composição dos cálculos renais é variada, mas sua grande maioria (70%) é formada por oxalato de cálcio.

Sua origem está relacionada ao excesso de eliminação de cálcio pelo organismo. Esta anormalidade pode estar relacionada a alterações da flora intestinal, anormalidades no funcionamento das glândulas paratireóides ou mesmo a uma condição genética, conhecia como hipercalciúria idiopática.


Doenças inflamatórias intestinais (Doença de Crohn ou retocolite ulcerativa), assim como cirurgias intestinais, podem ser também a causa desta condição. Cálculos de fosfato de cálcio são mais raros e são formados por uma situação médica chamada acidose tubular renal.(4)


Os outros 30% são compostos por ácido úrico, cistina, cálculos relacionados a infecção urinária e outros de composição mais rara (falamos mais sobre isso aqui ).



Quais são as causas dos cálculos renais?


Qualquer pessoa está propensa a ter pedras nos rins, porém, existem alguns fatores que contribuem mais para a condição. Normalmente, homens acabam tendo mais do que mulheres. Algumas das possíveis causas são:


  • Hereditariedade .

  • Alimentação (excesso de cálcio na dieta, ingestão excessiva de proteína animal)

  • Infecção urinária de repetição.

  • Obesidade

  • Cirurgia bariátrica ( muitas pessoas que passaram pelo procedimento apresentam uma alteração no componente de absorção de nutrientes no trato intestinal).

  • Beber pouca água e outros líquidos claros.

  • Medicações.

  • Alterações genéticas que levam a um defeito na eliminação urinária do aminoácido cistina.


Como é feito o diagnóstico?


Como dito anteriormente, os cálculos renais muitas vezes apresentam sintomas ‘’silenciosos’’ e podem acabar passando despercebidos. Nessas situações, muitas vezes o diagnóstico começa com um relato de dor do paciente ou ele é localizado em exames de rotina, como um raio-x ou ultrassom.


A tomografia computadorizada é o método de imagem considerado o ''padrão-ouro'' para o diagnóstico.

A mesma é capaz de medir com precisão o tamanho do cálculo, assim como verificar outras características, como densidade e sua relação com outras estruturas anatômicas.


Além disso, a avaliação metabólica no sangue e na urina de 24 horas podem ser métodos diagnósticos auxiliares para identificar fatores de risco específicos que possam ser corrigidos com medicações.


O tratamento


A forma de tratar as pedras nos rins depende de vários fatores, como o tamanho do cálculo, onde está localizado, a gravidade e a quanto tempo o paciente apresenta sintomas.

Em situações com pedras que apresentam até 7mm, elas podem ser eliminadas pela urina sozinhas, pelo próprio organismo (se a dor for suportável para aguentar o processo de espera).


Existem também tratamentos convencionais baseados em uma maior ingestão de água, mudanças alimentares e algumas medicações específicas indicadas em casos de mudanças metabólicas ou para dilatar o ureter e facilitar para o cálculo ser eliminado. (5)


Quando a condição não é resolvida dessa forma, existem métodos como a litotripsia externa, uma alternativa não invasiva, ambulatorial e com baixo índice de complicações, que utiliza ondas de ultrassom de alta intensidade para a fragmentação dos cálculos no interior do rim, porém indicada para pedras de menor densidade ou que não provocam obstrução urinária. (6)


Se o quadro for de cálculos de grande densidade ou tamanho, estejam causando muita dor ou afetem a função renal, o tratamento cirúrgico é o mais indicado.


A cirurgia pode ser feita através de uma endoscopia, com o equipamento de fibra óptica flexível acoplado a uma fibra de laser para fragmentação e aspiração dos cálculos no interior dos rins. Cálculos volumosos em geral não são tratados por essa via.


Nessa situação, os urologistas tendem a utilizar a cirurgia percutânea, que é realizada através de uma pequena incisão de 3 cm nas costas para criar um trajeto da pele até o rim.


Clique aqui e saiba mais sobre a cirurgia percutânea.


Através desse trajeto um equipamento de fragmentação dos cálculos é utilizado para o tratamento.



Como prevenir?


O primeiro passo para a prevenção começa entendendo como o paciente desenvolve a pedra no rim (sendo um motivo genético, ou ligado a alimentação, etc).

Em geral, sempre é recomendado por todos os especialistas tomar bastante água, evitar líquidos como refrigerantes e investir em uma alimentação com menos sódio (evitando o excesso de comidas congeladas, queijos, pães, entre outros), menos proteína animal e mais frutas e vegetais.


Existe um exame chamado ‘’Urina de 24 horas’’, que é uma coleta de todas as urinas que uma pessoa faz em um dia, o qual permite uma análise para dos componentes na urina, de forma a controlar a formação de cálculos renais de forma individualizada.


Para saber mais sobre como prevenir, confira abaixo um vídeo onde o Dr. Bruno Benigno (CRM SP 126265), urologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e diretor da Clínica Uro Onco, fala um pouco mais sobre a relação entre a alimentação e as pedras nos rins:






Nós, da Clínica Uro Onco, recomendamos sempre a busca de um acompanhamento médico individualizado, onde o especialista poderá avaliar a situação de forma mais específica e se concentrar para tirar todas as dúvidas de forma correta. Seguimos à disposição para todo o tipo de assistência sempre que necessário.




Escrito por: Dr Bruno Benigno (CRM SP 126265),

urologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e diretor da Clínica Uro Onco.




Referências:

1. Kidney stones - Symptoms, causes, types, and treatment | National Kidney Foundation [Internet]. [citado 1o de junho de 2021]. Disponível em: https://www.kidney.org/atoz/content/kidneystones

2. Kidney Stones: Symptoms, Diagnosis & Treatment - Urology Care Foundation [Internet]. [citado 11 de maio de 2021]. Disponível em: https://www.urologyhealth.org/urology-a-z/k/kidney-stones

3. Kidney stones - Symptoms and causes - Mayo Clinic [Internet]. [citado 1o de junho de 2021]. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/kidney-stones/symptoms-causes/syc-20355755

4. The Pathogenesis and Treatment of Kidney Stones | NEJM [Internet]. [citado 1o de junho de 2021]. Disponível em: https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/nejm199210153271607

5. Kidney Stones: Types, Diagnosis, and Treatment [Internet]. [citado 1o de junho de 2021]. Disponível em: https://www.healthline.com/health/kidney-stones#prevention

6. Kidney Stones: Symptoms, Diagnosis & Treatment - Urology Care Foundation [Internet]. [citado 1o de junho de 2021]. Disponível em: https://www.urologyhealth.org/urology-a-z/k/kidney-stones