UA-116285209-1
 
  • Dr. Bruno Benigno

Como Expelir uma Pedra no Ureter? Medicamentos ou Cirurgia?

Você sabe quais são as formas de eliminar uma pedra no Ureter?



Os cálculos, ou pedras, podem se originar em qualquer ponto do sistema urinário. Desde o rim até a uretra.

Cálculos que se formam no rim podem se movimentar e migrar em direção ao ureter, levando à interrupção abrupta do fluxo de urina, aumento de pressão no sistema urinário e um quadro de dor muito intensa. A esse conjunto de sintomas damos o nome de cólica renal. (veja neste vídeo o que fazer em uma crise de cólica renal)


O ureter possui três pontos onde seu calibre é mais fino. O primeiro deles fica logo na saída do rim, o segundo se localiza na transição entre o abdômen e a bacia, e o terceiro, mais estreito de todos, se encontra na entrada da bexiga.

Quanto mais próximo da bexiga, mais fino é o calibre do ureter, aumentando assim a possibilidade de uma pedra ficar incrustada.


A figura abaixo ilustra os 3 pontos mais estreitos do ureter (e com maior chance de obstrução pelo cálculo).

Veja o vídeo de uma operação real: aqui


Existem 3 pontos mais estreitos do ureter e maior risco de obstrução pelo cálculo
Pontos mais estreitos do ureter

Existem basicamente duas formas de eliminar pedras no ureter:


1-Tratamento médico conservador com medicações: nessa modalidade urologista utiliza medicações, como a tansulosina, que tem a propriedade de dilatar a porção do ureter que fica mais próxima da bexiga, aumentando assim as chances de eliminação da pedra. (1)

Além disso, o paciente é orientado a ingerir líquidos em grande quantidade, fazer uso de medicações anti inflamatórias ou que ajudam a diminuir os sintomas da cólica (como cetoprofeno e escopolamina). Essa estratégia costuma ter até 80% de efetividade para pessoas que possuem cálculos de até 7 mm impactados.



2- Cirurgia (litotripsia a laser): a cirurgia consiste em um procedimento sem necessidade de cortes na região abdominal.

Colocamos o paciente no centro cirúrgico, sob efeito de anestesia geral, para introdução de uma microcâmera através da uretra, um pouco mais calibrosa que uma carga de caneta bic.


Através da visualização direta do sistema urinário, auxiliado pela utilização de uma máquina de raio X em tempo real, o urologista acessa o ureter, identifica e implode o cálculo impactado com uma microfibra de laser instalada na ponta do equipamento e remove os pequenos fragmentos com uma pinça especial.(2–4)


Após a desobstrução do ureter pode ser necessária a colocação de um cateter de duplo J, para garantir que o fluxo de urina não seja interrompido novamente, em decorrência do inchaço do canal (natural) após procedimentos cirúrgicos invasivos como este.

O cateter duplo J pode permanecer implantado por um período de três a 60 dias, a depender de cada caso.


Confira o vídeo que gravamos sobre como é feita a retirada do Cateter duplo J.












Escrito por:

Referências bibliográficas:


1. Fontenelle LF, Sarti TD. Kidney Stones: Treatment and Prevention. Am Fam Physician. 15 de abril de 2019;99(8):490–6.

2. Astolfi RH, Carrera R, Gattas N, Bertolla R, Sepulveda F, Reggio E, et al. Current scenario of endourological treatment of kidney stones in brazil: results of a national survey. Int Braz J Urol Off J Braz Soc Urol. junho de 2020;46(3):400–8.

3. Barone B, Crocetto F, Vitale R, Di Domenico D, Caputo V, Romano F, et al. Retrograde Intra Renal Surgery (RIRS) versus Percutaneous Nephrolithotomy (PCNL) for renal stones >2cm. A systematic review and meta-analysis. Minerva Urol E Nefrol Ital J Urol Nephrol. 19 de fevereiro de 2020;

4. Khan A. Prevalence, pathophysiological mechanisms and factors affecting urolithiasis. Int Urol Nephrol. maio de 2018;50(5):799–806.


Posts recentes

Ver tudo