UA-116285209-1
 
  • Dr. Bruno Benigno

PET CT Ga-PSMA. Entendendo do preparo ao custo

Atualizado: Mar 15

PET CT Ga-PSMA


por: Dr. Bruno Benigno (Uro-oncologia e Cirurgia Robótica - CRM 126265 - São Paulo)


Todos os anos aproximadamente 1.300.000 homens são diagnosticados com câncer de próstata.(1) No Brasil, aproximadamente 68.000 casos novos são detectados todos os anos.(2)

Cerca de 30% de todos os casos novos são descobertos na fase em que a doença já rompeu os limites da próstata ou se apresenta disseminada para outros órgãos, quadro conhecido como metástase. (3)

Desta forma, todo homem que acaba de receber o diagnóstico de câncer de próstata necessita passar por uma avaliação do estágio em que a doença se apresenta. Esta etapa é conhecida pelos médicos como estadiamento.


Essa estratégia ajuda a equipe médica a selecionar o tratamento mais adequado para cada paciente, aumentando assim as chances de cura e diminuindo os riscos de efeitos colaterais.


Nos últimos anos presenciamos uma melhora significativa na resolução dos métodos de Medicina Diagnóstica. O PET CT Ga-PSMA vem demonstrando elevados níveis de sensibilidade e especificidade neste contexto.


Entenda o que é o PET CT Ga-PSMA

O PET é uma técnica utilizada pelos médicos radiologistas através da fusão de dois exames de imagem bem conhecidos, a cintilografia e a tomografia ao mesmo tempo.

O exame utiliza um anticorpo atrelado a uma molécula radioativa de baixa energia (o Gálio 18 - Ga) e que se liga diretamente a uma proteína dez vezes mais abundante na superfície das células do câncer de próstata.(4)


A molécula radioativa é rastreada pelo equipamento de cintilografia e transformada em imagem em tempo real. Esta informação é fundida de forma computadorizada às imagens obtidas pela tomografia.(4–6)


O resultado deste processo é a criação de um mapa do corpo inteiro do paciente onde podemos observar os focos de concentração anormal da molécula. Isto ajuda os médicos a identificarem a existência de focos de metástase fora da próstata.




Quando fazer (indicações) o PET CT Ga-PSMA?


Estadiamento inicial do câncer de próstata de alto risco

Pacientes que descobrem a doença em um estágio onde possivelmente houve a ruptura da cápsula da próstata ou apresentam tumores de alta agressividade com níveis muito elevados de PSA, são aqueles com maior risco de já apresentarem metástases.(4,7–11)


Nesta situação o exame pode ser útil para que o médico planeje a associação de tratamentos, como a cirurgia robótica e a radioterapia, com ou sem a utilização de bloqueadores de testosterona.


Em pacientes onde o exame mostra a existência apenas de doença localizada na próstata, os tratamentos individuais com cirurgia ou radioterapia podem ser a melhor escolha.


Dessa forma, o exame traz a possibilidade de evitar tratamentos desnecessários a um determinado paciente.


Recidiva bioquímica

Mesmo muitos anos após um homem ter sido submetido a cirurgia ou radioterapia a doença pode retornar. Identificamos a recorrência através da elevação dos níveis de PSA ou o surgimento de nódulos suspeitos em qualquer parte do corpo.(12–16)

A localização exata dos focos de recidiva da doença é fundamental para o planejamento da próxima etapa de tratamento.


Homens que apresentam recidiva nos gânglios da região da bacia podem ser candidatos a uma nova tentativa de cirurgia para a eliminação dos focos ativos de doenças.


Já nos casos onde o exame demonstra múltiplos focos de doença fora da região pélvica ou mesmo distribuídos em vários focos nos ossos, a estratégia de cirurgia pode não ser a melhor opção.


Nestes casos, o tratamento com bloqueadores de testosterona e radioterapia direcionada aos focos de doença nos ossos podem ser a melhor alternativa.

Neste cenário, mais uma vez o PET com PSMA pode ser muito útil no auxílio da escolha da melhor estratégia de tratamento em cada caso.


Acompanhamento da doença com metástases

Em homens que sabidamente têm doença com metástases o PET de PSMA pode ser feito regularmente para o acompanhamento de resposta ao tratamento o mesmo decidir pela mudança de estratégia, caso haja um aumento repentino no PSA ou na quantidade de metástases.


Como é feito?

Preparo

Não há necessidade de preparo específico para realização do exame. Contudo, é preciso estar de jejum por 8 horas e interromper algumas medicações em uma lista específica, que será informada no momento do agendamento do exame.

O paciente é liberado para se alimentar 30 minutos após a realização do exame.


Duração do exame

O exame é feito com o paciente acordado e tem a duração de aproximadamente 20 a 30 minutos.


Contraindicações

Pacientes que sabidamente têm alergia ao contraste não devem ser submetidos a este exame sem o preparo adequado .


Tempo para o resultado

O resultado do exame costuma ficar pronto em 2 a 5 dias.


Onde fazer em São Paulo?

Clínicas especializadas e laboratórios

  1. Fleury

  2. A+

  3. Salomão Zoppi

  4. Alta Diagnóstica

Hospitais

  1. Hospital Alemão Oswaldo Cruz

  2. H. Cor

  3. Hospital Sírio Libanês


Tem cobertura pelo SUS?

Infelizmente o exame ainda não é amplamente coberto pela rede pública (SUS). Contudo, em alguns centros de referência em Oncologia no Estado de São Paulo, como o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP), é possível a realização do exame.

A oferta em centros de referência ainda é limitada em virtude dos altos custos.


Quanto custa o PET CT Ga-PSMA?

Em 2021 os custos do PET com PSMA na cidade de São Paulo variam de R$3.800 a R$5.000.





Referências bibliográficas

1. Siegel RL, Miller KD, Jemal A. Cancer statistics, 2019: Cancer Statistics, 2019. CA Cancer J Clin. janeiro de 2019;69(1):7–34.

2. Brasil - Estatística do Câncer em 2020 - INCA.

3. Moris L, Cumberbatch MG, Van den Broeck T, Gandaglia G, Fossati N, Kelly B, et al. Benefits and Risks of Primary Treatments for High-risk Localized and Locally Advanced Prostate Cancer: An International Multidisciplinary Systematic Review. Eur Urol. março de 2020;S0302283820300713.

4. Komek H, Can C, Yilmaz U, Altindag S. Prognostic value of 68 Ga PSMA I&T PET/CT SUV parameters on survival outcome in advanced prostat cancer. Ann Nucl Med [Internet]. 13 de julho de 2018 [citado 18 de julho de 2018]; Disponível em: http://link.springer.com/10.1007/s12149-018-1277-5

5. Calais J, Czernin J, Fendler WP, Elashoff D, Nickols NNG. Randomized prospective phase III trial of 68Ga-PSMA-11 PET/CT molecular imaging for prostate cancer salvage radiotherapy planning [PSMA-SRT]. BMC Cancer [Internet]. dezembro de 2019 [citado 20 de fevereiro de 2019];19(1). Disponível em: https://bmccancer.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12885-018-5200-1

6. Schmidt-Hegemann N-S, Fendler WP, Ilhan H, Herlemann A, Buchner A, Stief C, et al. Outcome after PSMA PET/CT based radiotherapy in patients with biochemical persistence or recurrence after radical prostatectomy. Radiat Oncol [Internet]. dezembro de 2018 [citado 8 de março de 2018];13(1). Disponível em: https://ro-journal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13014-018-0983-4

7. Selnæs KM, Krüger-Stokke B, Elschot M, Willoch F, Størkersen Ø, Sandsmark E, et al. 18F-Fluciclovine PET/MRI for preoperative lymph node staging in high-risk prostate cancer patients. Eur Radiol [Internet]. 2 de janeiro de 2018 [citado 4 de março de 2018]; Disponível em: http://link.springer.com/10.1007/s00330-017-5213-1

8. Schmidt-Hegemann N-S, Fendler WP, Ilhan H, Herlemann A, Buchner A, Stief C, et al. Outcome after PSMA PET/CT based radiotherapy in patients with biochemical persistence or recurrence after radical prostatectomy. Radiat Oncol Lond Engl [Internet]. 2 de março de 2018 [citado 9 de março de 2018];13. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5833127/

9. Metser U, Berlin A, Halankar J, Murphy G, Jhaveri KS, Ghai S, et al. 18 F-Fluorocholine PET Whole-Body MRI in the Staging of High-Risk Prostate Cancer. Am J Roentgenol. março de 2018;210(3):635–40.

10. Mandel P, Tilki D, Chun FK, Pristupa E, Graefen M, Klutmann S, et al. Accuracy of 68 Ga-Prostate-specific Membrane Antigen Positron Emission Tomography for the Detection of Lymph Node Metastases Before Salvage Lymphadenectomy. Eur Urol Focus [Internet]. julho de 2018 [citado 20 de fevereiro de 2019]; Disponível em: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S2405456918301913

11. Corfield J, Perera M, Bolton D, Lawrentschuk N. 68Ga-prostate specific membrane antigen (PSMA) positron emission tomography (PET) for primary staging of high-risk prostate cancer: a systematic review. World J Urol [Internet]. 17 de janeiro de 2018 [citado 4 de março de 2018]; Disponível em: http://link.springer.com/10.1007/s00345-018-2182-1

12. Freedland SJ, Humphreys EB, Mangold LA, Eisenberger M, Dorey FJ, Walsh PC, et al. Risk of Prostate Cancer–Specific Mortality Following Biochemical Recurrence After Radical Prostatectomy. :7.

13. Murata Y, Tatsugami K, Yoshikawa M, Hamaguchi M, Yamada S, Hayakawa Y, et al. Predictive factors of biochemical recurrence after radical prostatectomy for high-risk prostate cancer. Int J Urol [Internet]. 8 de janeiro de 2018 [citado 4 de março de 2018]; Disponível em: http://doi.wiley.com/10.1111/iju.13514

14. Peeters C, Ponette D, van Poppel H. Salvage Pelvic Lymph Node Dissection after Radical Prostatectomy for Biochemical and Lymph Node Recurrence. Urol Int. 2017;98(3):367–9.

15. Jilg CA, Drendel V, Rischke HC, Beck T, Vach W, Schaal K, et al. Diagnostic Accuracy of Ga-68-HBED-CC-PSMA-Ligand-PET/CT before Salvage Lymph Node Dissection for Recurrent Prostate Cancer. Theranostics. 2017;7(6):1770–80.

16. Taguchi S, Fukuhara H, Azuma T, Suzuki M, Fujimura T, Nakagawa T, et al. Ultra-early versus early salvage androgen deprivation therapy for post-prostatectomy biochemical recurrence in pT2-4N0M0 prostate cancer. BMC Urol [Internet]. dezembro de 2014 [citado 17 de novembro de 2018];14(1). Disponível em: http://bmcurol.biomedcentral.com/articles/10.1186/1471-2490-14-81


127 visualizações0 comentário