UA-116285209-1
 
  • Dr. Bruno Benigno

PSA Aumentado? Relação Livre e Total? Aumento após Retirada da Próstata? O que fazer?

Em seu canal no youtube, o Dr. Bruno Benigno (CRM SP 126265), urologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e diretor da Clínica Uro Onco, explica de forma clara e objetiva questões perguntadas por seus pacientes. Para saber mais sobre o PSA, acesse o vídeo abaixo ou continue lendo para conferir.




Sobre tamanho da próstata e PSA acima de 4


Respondendo uma pergunta enviada em seu canal no YouTube, o Dr. Bruno explica que se o PSA está acima de 4, não é o caso de uma próstata grande e não há nenhum sintoma como desconforto para urinar, a primeira coisa a se fazer é que o paciente


repita o exame do PSA para que seja possível ter certeza que de fato existe uma alteração (afinal, o PSA com o valor acima de 4 é preocupante).

Após isso, passar em uma consulta com um urologista e fazer o exame de toque retal.

Se o PSA estiver realmente acima de 4 ou o urologista identificar algum nódulo suspeito na próstata, existe um risco da existência de focos de câncer.


Existe um exame chamado ressonância magnética, o qual pode ajudar o médico e o paciente a chegar a à conclusão se é necessário ou não fazer uma biópsia de próstata.

É importante reforçar que ter um PSA alto não significa que o homem esteja com câncer de próstata, mas sim que é necessário investigar.


A única forma de confirmar ou afastar a existência de um câncer de próstata é através da biópsia, conclui o Dr. Bruno Benigno

Um histórico de vida saudável e prática de exercícios poderia ajudar no resultado da biópsia?



O Dr. Bruno explica que sim, uma vida com histórico de praticar exercícios regularmente diminui o risco de qualquer homem de apresentar o câncer de próstata e outros tipos de câncer.


Todavia, mesmo com esse histórico, um homem que apresenta, por exemplo, pi-rads 4 juntamente com o PSA acima de 4 merece investigação.

O especialista alerta que há uma chance de 35% desse homem apresentar um diagnóstico de câncer de próstata.


Por essa razão, o paciente (mesmo com uma vida saudável) poderia ser submetido a uma biópsia para afastar ou confirmar o diagnóstico.


Dr. Bruno Benigno completa que ter câncer de próstata não é uma sentença de morte, pelo contrário, o diagnóstico precoce só aumenta as chances de cura. Como o câncer de próstata nos estágios iniciais não causa qualquer sintoma,é muito importante fazer o exame do PSA e o toque retal anualmente.


Em casos como o do exemplo citado acima, fazer uma ressonância para saber se o paciente é ou não um candidato a fazer uma biópsia seria uma boa opção.

Quando se preocupar com o resultado do PSA?


Se baseando em uma pergunta enviada diretamente ao especialista, a qual os valores do PSA seriam 0,44 para o PSA total e 0,06 para o PSA livre, uma relação de 13%, o Dr explica que se ele olhasse somente para a relação do PSA de 13%, seria uma relação que levaria a preocupação, porém, para homens que tem um PSA menor que 2,5 (no caso, 0,44) a relação comum do PSA livre e total não é utilizada.


Essa relação só é usada para homens com o PSA entre 2,5 e 4, e muito mais útil para homens com o valor acima de 4. Essa proporção vale, inicialmente, para pacientes com uma faixa de PSA mais alta, mas acaba sendo usada para aqueles PSA entre 2,5 e 4 também.


No caso da pergunta feita para o especialista, a pessoa não deveria se preocupar com essa relação de 13%, porque em casos como esse em particular, essa relação não se aplica.

Mas, caso o homem em questão esteja com mais de 50 anos, é importante que mesmo que tenha o PSA baixo, sejam feitos exames como o de toque retal, pois é conhecido pelos médicos que 10% dos homens que têm câncer de próstata podem ter o PSA totalmente normal.

Por que após a retirada da próstata o PSA pode subir?


Quando os homens retiram a próstata, eles são acompanhados no pós-operatório com dosagens do PSA a cada 3/4 meses.

O PSA pode subir porque podem existir focos de metástases antes da próstata ter sido retirada, e essas metástases são focos de células do câncer que ficam adormecidas em tecidos normais (como os linfonodos).

Essas células podem ficar adormecidas por anos (quatro, cinco, seis anos) e, os médicos não sabem explicar o porquê, mas em algum momento essas células podem ‘’reativar’’ e começar a produzir o PSA, começando um novo foco de câncer de próstata.

Resumindo: o PSA pode subir porque podem já existir metástases mesmo no início, em casos muito iniciais, embora esse risco seja pequeno.

Contudo, O PSA pode subir por um fenômeno conhecido pelos especialistas da área como ‘’falso-positivo’’, porque é usado um anticorpo no teste feito no sangue, que reage com a proteína do PSA no sangue.

A questão é que, embora esse anticorpo seja muito específico para a molécula do PSA, ele pode reagir de forma cruzada com outras proteínas parecidas, alterando o teste. Como isso já é sabido pelos especialistas, o PSA é considerado ‘’normal’’ como um ‘’ruído’’ do teste até o valor de 0,2 para aqueles homens que já não tem mais próstata, a partir desse valor o PSA já é considerado alterado e se inicia uma busca para saber se existe algum foco de doença ativa no corpo.

Ou seja, são dois motivos do porque um PSA pode subir depois de uma retirada da próstata.




Escrito por: Sofia Carnavalli | Assessoria de Imprensa

do Dr. Bruno Benigno.




61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
<