UA-116285209-1
 
  • Dr. Bruno Benigno

Teste 4K score. É o fim da era do PSA para detectar o Câncer de Próstata?

Atualizado: Abr 15

por: Dr. Bruno Benigno [Urologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz SP e Diretor da Clínica Uro Onco] - CRM SP 126265




Até o momento, a biópsia é a única forma de confirmar o diagnóstico do câncer de próstata. Removemos de 12 a 14 fragmentos da glândula, com o paciente sob anestesia local e sedação.


Entretanto, aproximadamente 70% das biópsias solicitadas não são capazes de detectar o câncer de próstata, gerando ansiedade para pacientes e familiares, assim como riscos potencialmente evitáveis, como infecção urinária e sangramento na urina.


Na tentativa de evitar biópsias desnecessárias, selecionamos homens com níveis de PSA mais alto, ou aqueles que possuem uma relação entre o psa livre e psa Total menor que 20%.

A ressonância magnética multiparamétrica representou um grande avanço na melhoria da resolução dos exames de imagem, facilitando a seleção dos melhores candidatos para uma biópsia, assim como identificando áreas altamente suspeitas da doença.


Novos testes sanguíneos e urinários vêm sendo desenvolvidos nos últimos anos, como o 4K score, o PHI score, o PCA3 e outros, ainda pouco estudados. Estes testes são as principais estratégias promissoras disponíveis até o momento.


O que é o teste 4k?

É um teste no sangue que avalia os níveis de 4 variantes da molécula de PSA (PSA total; PSA livre; PSA intacto e hK2). O teste melhora a capacidade dos médicos em identificar quais homens devem ser submetidos a uma biópsia de próstata.


A biópsia ainda é a única forma de confirmar o diagnóstico de câncer de próstata. Entretanto, o teste é capaz de evitar aproximadamente 50% de biópsias desnecessárias.

Os resultados do teste são avaliados em conjunto com outros critérios, como idade e presença de nódulos detectáveis pelo exame de toque retal, assim como resultados de biópsia anterior da próstata. Um algoritmo matemático informa o resultado no formato de porcentagem.


Homens com resultados do teste menor que 7,5% são aqueles que apresentam um menor risco de serem diagnosticados com câncer de próstata.




Por que é melhor que o PSA?

Um compilado de estudos clínicos, com aproximadamente 20.000 homens submetidos ao teste, mostra que o 4k score tem acurácia superior ao PSA isolado, na identificação de homens que precisam passar por uma biópsia da próstata.(1–3)


Os exames de PSA e toque retal ainda devem ser realizados antes do 4k score. Esta estratégia ajuda a identificar quais homens estão sob maior risco de serem diagnosticados com câncer de próstata. Estes serão encaminhados para o teste 4k.


Quais os valores de referência?

Uma meta-análise envolvendo nove estudos, em um total de 1689 pacientes com câncer de próstata de alta agressividade, demonstrou que os pacientes com resultados do 4K score acima de 7,5% tiveram uma alta probabilidade de serem diagnosticados com doença de alta agressividade.(1)


Isso significa que homens que apresentam um teste com resultado menor que 7,5% são aqueles com maior probabilidade de apresentar em uma doença de baixa agressividade ou mesmo alterações benignas da próstata.


O teste foi capaz de identificar, com acurácia de 90%, todos os homens portadores de câncer de próstata de alta agressividade.


Quem deve fazer?

Homens com elevação suspeita dos níveis sanguíneos de PSA (>4 ng/ml), ou que apresentam um nódulo detectável no exame de toque retal e que nunca foram submetidos previamente a uma biópsia.


Outro cenário em que o teste pode ser útil é em homens que já fizeram uma biópsia previamente mas que ainda suspeita-se da existência do câncer de próstata ( exame falso negativo).

Estudos indicam que o teste foi capaz de evitar até 50% de biópsias desnecessárias.(2)


Quais são os benefícios do teste?

Resultados do teste ajudam a identificar os homens com câncer de próstata de alto risco se uma biópsia foi indicada. Além disso, calcula o risco de mortalidade ou o desenvolvimento de metástases no longo prazo.(4–6)


Através da Identificação do risco de apresentar um câncer de próstata de alta agressividade, após o rastreamento convencional com o PSA e o toque retal, o teste 4K score ajuda médicos e pacientes a evitarem biópsias desnecessárias, diminuindo assim o risco do super-diagnóstico do câncer de próstata de baixa agressividade.


O teste é capaz de diagnosticar câncer de próstata?

Não, a única forma de chegar ao diagnóstico definitivo do câncer de próstata é através de uma biópsia. Entretanto, o teste ajuda a equipe médica a selecionar quem são os homens que devem fazer uma biópsia de próstata imediatamente.

O manual de recomendações da European Association of Urology, recomenda a inclusão do 4k score em associação com os resultados da ressonância magnética multiparamétrica.


Um estudo recente comparou três estratégias diferentes de rastreamento. baseado numa curva de análise de decisão ( figuras 1 e 2) fica claro que a estratégia de realização do 4K score de início, seguido da ressonância magnética é capaz de identificar os melhores candidatos para biópsia quando o teste é maior que 7,5% e a ressonância magnética mostra nódulos PIRADS de 3 a 5, ou no cenário onde o teste 4K score é maior que 18% (independentemente do resultado da ressonância magnética). Essa estratégia foi capaz de identificar 98% dos pacientes com câncer de próstata de alta agressividade e se mostrou superior à abordagem atual, que se baseia na densidade do PSA.(1,5,6)







Fonte: Parekh DJ, et al. Eur Urol. setembro de 2015.


Onde fazer no Brasil?

Confira aqui a lista de locais em São Paulo ou entre em contato diretamente conosco.


Quais os custos?

Variáveis no Brasil: de 300 a 500 dólares






1. Mi C, Bai L, Yang Y, Duan J, Gao L. 4Kscore diagnostic value in patients with high-grade prostate cancer using cutoff values of 7.5% to 10%: A meta-analysis. Urol Oncol. 5 de março de 2021;

2. Falagario UG, Martini A, Wajswol E, Treacy P-J, Ratnani P, Jambor I, et al. Avoiding Unnecessary Magnetic Resonance Imaging (MRI) and Biopsies: Negative and Positive Predictive Value of MRI According to Prostate-specific Antigen Density, 4Kscore and Risk Calculators. Eur Urol Oncol. setembro de 2019;S2588931119301415.

3. Sjoberg DD, Vickers AJ, Assel M, Dahlin A, Poon BY, Ulmert D, et al. Twenty-year Risk of Prostate Cancer Death by Midlife Prostate-specific Antigen and a Panel of Four Kallikrein Markers in a Large Population-based Cohort of Healthy Men. Eur Urol. junho de 2018;73(6):941–8.

4. Punnen S, Freedland SJ, Polascik TJ, Loeb S, Risk MC, Savage S, et al. A Multi-Institutional Prospective Trial Confirms Noninvasive Blood Test Maintains Predictive Value in African American Men. J Urol. junho de 2018;199(6):1459–63.

5. Stattin P, Vickers AJ, Sjoberg DD, Johansson R, Granfors T, Johansson M, et al. Improving the Specificity of Screening for Lethal Prostate Cancer Using Prostate-specific Antigen and a Panel of Kallikrein Markers: A Nested Case-Control Study. Eur Urol. agosto de 2015;68(2):207–13.